Principal        Turismo        Lazer        Gastronomia        Notícias        Serviços        Educação      


Notícias



CREA-AM quer convênio com a Adaf para aumentar controle
Por CREA-AM,
sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016
 
 
 

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (CREA-AM) quer firmar um convênio com a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) com a intenção de aumentar o controle e o monitoramento do uso de agrotóxicos no Estado. O assunto já vem sendo discutido desde o ano passado e a expectativa é que haja um entendimento entre as duas instituições até março para a celebração da parceria.

                                                            

O tema dos agrotóxicos ganhou destaque nesta sexta-feira (19) com a criação do Fórum de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos no Amazonas, pelo Ministério Público Estadual (MPE), em Manaus. A finalidade é proporcionar o debate das questões relacionadas aos agrotóxicos, produtos afins e transgênicos, de modo a fomentar ações integradas de proteção à saúde do trabalhador, do consumidor, da população e do meio ambiente diante das doenças causadas pela má utilização desses produtos. Na solenidade desta manhã, o CREA-AM foi representado pelos engenheiros agrônomos Carlos Moisés Medeiros, secretário da autarquia, e Wandecy Campos, coordenador da Comissão de Relações Públicas do CREA, além do conselheiro Sildovério Tundis.


Carlos Moisés Medeiros explicou à imprensa nesta sexta que o convênio vai permitir que ocorra um maior acompanhamento do CREA em relação ao uso dos agrotóxicos no Amazonas, uma vez que a atribuição da autarquia é limitada à fiscalização do exercício das profissões do Sistema Confea/CREA, portanto, não tendo o poder de embargo ou paralisação de determinado serviço.


Moisés explica que a função do CREA em relação à utilização de agrotóxicos é de “executar a cobrança da existência do Receituário Agrônomico”. “Este documento tem caráter público e foi criado para controlar a venda dos agrotóxicos no País; para facilitar o entendimento, o Receituário Agronômico é como se fosse uma receita médica, onde recomenda o uso de um remédio para determinada doença, a dosagem e quantos dias o paciente deve ingerir aquele medicamento; no “Agronômico”, o profissional, devidamente habilitado, descreve o que o agricultor precisa comprar para combater uma praga, quantos dias irá ministrar esse defensivo, qual a dosagem correta, além de outras orientações sobre a aplicação do produto, quando for necessário”, explicou. 

 

Cabe ao CREA fiscalizar se as fazendas, agricultores e empresas que vendem esses produtos estão aplicando ou vendendo os agrotóxicos mediante o Receituário Agronômico, elaborado por um profissional devidamente habilitado e registrado no Conselho. Já a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Amazonas (Adaf) caberia à fiscalização, multa e até embargo de atividade ou do serviço que não estiver seguindo o receituário, com o agrotóxico sendo usado de forma excessiva, oferecendo risco à saúde do trabalhador, do consumidor do produto e prejuízo ao meio ambiente. “Essa atividade complementaria a do CREA, e assim estaremos unindo forças para evitar que o meio ambiente seja prejudicado e que a população adoeça em consequência da má utilização dos agrotóxicos; e ainda estaremos também acompanhando o uso desses produtos no Estado”, explicou Carlos Moisés Medeiros.

 

Os agrotóxicos são produtos químicos, físicos ou biológicos usados no controle de pragas, bactérias e outros seres considerados nocivos ao homem, ao meio ambiente e à atividade agrícola. São também conhecidos por agrotóxicos, pesticidas, praguicidas ou produtos fitossanitários.

 

 

RECEITUÁRIO AGRONÔMICO

Para emissão da Receita Agronômica, o profissional deve basear sua prescrição Técnica no exame “in loco” da atividade agropecuária, com uma visita à propriedade; identificação da cultura ou material a ser tratado; definição da área ou volume ou peso a ser tratado; identificação do agente etiológico.

“Na sua recomendação, vai se prescrever produtos químicos, daí a importância desse trabalho ser realizado por profissional devidamente habilitado, pois este está ciente das características ecotoxicológicas do princípio ativo do produto, bem como as normatizações ou que diz a legislação fitossanitária federal, estadual e municipal”, ressaltou o presidente do CREA-AM, engenheiro civil Cláudio Guenka.

 

Publicidade


   
TURISMO
Agências de Turismo
Artesanato
Bibliotecas
Casas de Câmbio
Consulados
Ficha
Fotos
História
Hospedagem
Igrejas
Informações
Pontos Turísticos
Mapas
Municípios
Museus
Pescaria
Shoppings
Teatros
Zona Franca de Manaus

LAZER
Bares
Casas Noturnas
Eventos

GASTRONOMIA
Cafeterias
Café Regional
Churrascarias
Guloseimas
Lanchonetes
Pizzarias
Restaurantes
Sorveterias
SERVIÇOS
Caixas Eletrônicos 24h
Delegacias
Farmácias 24h
Hospitais
Notícias
Telefones Úteis
Táxi

EDUCAÇÃO
Infantil
Escolas Públicas
Escolas Particulares
Curso Superior
Curso Técnico
Siga nas redes sociais:
Twitter   Facebook   Instagram


No seu bolso:
Download na Apple Store

Download na Google Play

ManausOnline.com
Copyright © 1996-2021