Principal        Turismo        Lazer        Gastronomia        Notícias        Serviços        Educação      


Notícias



Aedes aegypti, AM tem um município com risco de surto e oito em alerta
Por Três Comunicação,
segunda-feira, 28 de novembro de 2016
 
 
 

O Amazonas tem um município com risco de surto e mais oito, incluindo Manaus, em situação de alerta para as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (Dengue, Chikungunya e Zika vírus). Os dados são do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), divulgado pelo Ministério da Saúde (MS).

Atualmente, o levantamento é feito a partir da adesão voluntária das Prefeituras, por isso nem todos os municípios aparecem na pesquisa. Dos 62 municípios do Amazonas, apenas 29 estão relacionados. Destes, 20 apresentaram índices considerados satisfatórios; 8 estão em alerta e Guajará, localizado na região sudoeste, é o único do estado em situação de risco de surto das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

O combate aos criadouros do mosquito é a principal arma de prevenção contra essas doenças. Para chamar a atenção da população para a importância de gestos simples que ajudam nesse sentido, como a eliminação de água parada nos recipientes a céu aberto, o Ministério da Saúde realiza nesta sexta-feira (02), em todo o país, o “Dia D” de mobilização contra o Aedes aegypti.

No caso de Chikungunya e Zika vírus, não existe vacina para prevenção. Com relação à Dengue, a população conta com um importante aliado, que é a vacina Dengvaxia, única contra a doença e já disponível nas clínicas privadas, desde agosto.

A diretora da Clínica Vacinar, Amanda Alecrim, explica que a vacina é indicada para as pessoas de 9 a 45 anos, principalmente, para as que vivem em áreas endêmicas, como é o caso do Amazonas. “É importante que as pessoas protejam-se o quanto antes, para estarem imunizadas na época de maior incidência da Dengue, que é no período de intensificação das chuvas na região, de janeiro a maio”, ressalta.

A vacina apresenta 93% de proteção nos casos graves da doença e redução de 88% das internações. É aplicada em três doses, com intervalo de seis meses entre elas. “A partir da primeira dose, a vacina já provoca uma resposta imunológica do organismo. Mas, para proteção total, é preciso concluir as três doses”, afirmou Amanda, frisando que a Dengvaxia é contra-indicada somente para grávidas, lactantes e pessoas com imunidade comprometida.

Segundo Amanda, como não há vacina para as outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, o recomendado, para eliminar os criadouros do mosquito é: tampar os camburões e caixas d´agua; manter as calhas sempre limpas; deixar as garrafas sempre viradas; e manter as lixeiras fechadas. “O mosquito se reproduz em qualquer acúmulo de água, até mesmo em garrafas pet. Por isso, é preciso ficar atento”, alertou. 

 

Publicidade


   
TURISMO
Agências de Turismo
Artesanato
Bibliotecas
Casas de Câmbio
Consulados
Ficha
Fotos
História
Hospedagem
Igrejas
Informações
Pontos Turísticos
Mapas
Municípios
Museus
Pescaria
Shoppings
Teatros
Zona Franca de Manaus

LAZER
Bares
Casas Noturnas
Eventos

GASTRONOMIA
Cafeterias
Café Regional
Churrascarias
Guloseimas
Lanchonetes
Pizzarias
Restaurantes
Sorveterias
SERVIÇOS
Caixas Eletrônicos 24h
Delegacias
Farmácias 24h
Hospitais
Notícias
Telefones Úteis
Táxi

EDUCAÇÃO
Infantil
Escolas Públicas
Escolas Particulares
Curso Superior
Curso Técnico
Siga nas redes sociais:
Twitter   Facebook   Instagram


No seu bolso:
Download na Apple Store

Download na Google Play

ManausOnline.com
Copyright © 1996-2021