Principal        Turismo        Lazer        Gastronomia        Notícias        Serviços        Educação      


Notícias



MDIC quer gestão de resultados no CBA
Por Enock Nascimento, Suframa
sexta-feira, 21 de setembro de 2018
 
 
 

Publicado em setembro, o primeiro Edital de Chamamento Público para seleção de Organização Social (OS) do Brasil foi destinado à seleção da pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos que administrará o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA). Com o objetivo de esclarecer dúvidas sobre o processo de seleção, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e a SUFRAMA organizaram, nesta sexta-feira (21), no auditório da sede da autarquia, evento com representantes de instituições interessadas em administrar o Centro.

O superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da SUFRAMA, Marcelo Pereira, ressaltou que um dos principais objetivos do encontro é o de evitar retardos no cronograma do processo de qualificação de OS da futura gestora do CBA, devido à entraves e imbróglios jurídicos. “Queremos dirimir todas as possíveis ambiguidades e imprecisões do Edital, para evitar que, no futuro, surja, por exemplo, algum mandado de segurança determinando a interrupção do processo. O CBA é importante demais para a região e para o País. Qualquer atraso é muito prejudicial”, ressaltou Pereira, acrescentando que a autarquia será interveniente do contrato.

O detalhamento dos principais itens do edital foi feito pelo diretor de Inovação e Novos Negócios do MDIC, Luciano Cunha. O diretor ressaltou que o governo federal repassará, anualmente, R$ 11,5 milhões para a gestão do centro e a promoção das atividades fim. “Antes da assinatura do contrato serão pactuadas metas e indicadores de desempenho entre as partes. A OS terá plena autonomia operacional”, afirmou Cunha.

O diretor salientou ainda que o governo federal resolveu não delimitar o escopo das atividades que serão desenvolvidas pelo novo CBA. Dessa forma, as propostas de definição do campo de atuação (como desenvolvimento de fármacos; certificação de novos produtos; fomento de startups; licenciamentos tecnológicos, entre outros) feitas pelas candidatas tornou-se um dos principais critérios no processo de seleção. 

De 19 a 24 de outubro ocorre o período para o recebimento das propostas escritas (até 35 páginas).  De 5 a 16 de novembro será o período para apresentação oral das propostas (até 1h30) e para entrevistas de até cinco membros sêniores das equipes gerenciais e científicas da entidade privada.  Incluindo os recursos, o prazo para a decisão ministerial é até 09 de janeiro de 2019. Na segunda fase, o prazo do envio dos documentos probatórios exigidos para a qualificação como OS se encerra no dia 23 de fevereiro. A data máxima (incluindo o período de análise de recursos) para o MDIC publicar o resultado final é dia 17 de abril de 2019.

Durante o evento, o diretor de Inovação e Novos Negócios também destacou os sete critérios de julgamento das propostas das instituições postulantes. Entre eles: indicação, caracterização e análise motivada da comunidade beneficiária das atividades que serão realizadas pela candidata (10 pontos); identificação de potenciais clientes e os objetivos da candidata em termos de melhoria da relação entidade-cliente na prestação dos serviços (10 pontos); impactos qualitativos e quantitativos esperados a curto, médio e longo prazo das atividades que serão realizadas pela candidata, em termos de aproveitamento da biodiversidade amazônica (20 pontos); e composição da equipe de gestão proposta para atuar no CBA (20 pontos). “A pontuação máxima é de 120 pontos. Caso a primeira colocada, por algum motivo, não assine o contrato com o governo federal, será chamada a segunda colocada. Assim por diante, até a entidade que alcançou, no mínimo, 60 pontos”, explicou Cunha.

Entre as principais dúvidas dos representantes das entidades, estavam questões como a composição do conselho gestor da OS, devido à exigência legal da inclusão de representantes do poder público. Outra dúvida levantada foi sobre o destino dos pesquisadores bolsistas que estão atuando no CBA. “Haverá, necessariamente, um período de transição em que a entidade gestora irá conhecer detalhadamente os profissionais e as pesquisas que estão sendo lá desenvolvidas. Após esse tempo, a entidade decidirá pela manutenção ou não deles”, observou Cunha.

 

Publicidade




TecVidros
   
TURISMO
Agências de Turismo
Artesanato
Bibliotecas
Casas de Câmbio
Consulados
Ficha
Fotos
História
Hospedagem
Igrejas
Informações
Pontos Turísticos
Mapas
Municípios
Museus
Pescaria
Shoppings
Teatros
Zona Franca de Manaus

LAZER
Bares
Casas Noturnas
Cinema
Eventos

GASTRONOMIA
Cafeterias
Café Regional
Churrascarias
Guloseimas
Lanchonetes
Pizzarias
Restaurantes
Sorveterias
SERVIÇOS
Cyber Café
Caixas Eletrônicos 24h
Delegacias
Farmácias 24h
Hospitais
Hotspots (wi-fi)
Notícias
Telefones Úteis
Táxi

EDUCAÇÃO
Infantil
Escolas Públicas
Escolas Particulares
Curso Superior
Curso Técnico
Siga nas redes sociais:
Twitter   Facebook   Instagram


No seu bolso:
Download na Apple Store

Download na Google Play

ManausOnline.com
Copyright © 1996-2018