Principal        Turismo        Lazer        Gastronomia        Notícias        Serviços        Educação      


Notícias



Projeto leva internet para comunidades isoladas na Amazônia
Por Fundação Amazonas Sustentável ,
quinta-feira, 10 de setembro de 2020
 
 
 

Projeto leva internet para comunidades isoladas na Amazônia
Internet nas Comunidades. / João Victor

Parceria entre FAS e Americanas investe em conectividade para promover o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida de comunidades ribeirinhas do Amazonas

Na vida moderna, é quase impensável viver sem o uso de tecnologias digitais. No entanto, em meio à Amazônia – região que representa aproximadamente 60% do território brasileiro e abriga a maior diversidade em floresta tropical no mundo – ainda há localidades onde a internet parece mais uma “história de pescador”. É para mudar essa realidade que a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e a Americanas desenvolvem, desde 2018, um projeto que leva internet para comunidades remotas do interior do Amazonas. Ao todo, a iniciativa beneficia, diretamente, mais de 1.400 pessoas em oito dos nove núcleos da fundação espalhados pelo estado.

Por conta das distâncias físicas entre as comunidades ribeirinhas e os grandes centros, a escassez de conectividade não apenas mantém os povos da floresta isolados, como impacta seu acesso à saúde, educação, informação, entre outros serviços básicos para uma boa qualidade de vida e para o desenvolvimento sustentável da região. Por conta destes fatores, o acesso à rede já trouxe diversas mudanças para as vidas dos comunitários e ajudou a solucionar desafios importantes, como o da comunicação.

“Usar a internet aproxima a gente dos amigos e parentes que estão distantes. Também nos mantemos em contato direto com membros de associações e instituições, o que é essencial. O projeto Conectividade é o que socorre com uma internet boa, onde conseguimos nos comunicar de maneira rápida e fácil”, conta José Cruz Lima de Lima, 31 anos, morador da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) de Uacari, no município de Carauari, a 787 quilômetros de Manaus. José trabalha como monitor na Casa Familiar Rural do Campina, espaço de educação focado no campo e na floresta.

Outro beneficiário do projeto é João Victor, 21 anos. Natural de Manaus e estudante de Pedagogia, o jovem é um dos usuários da internet disponível no Núcleo de Conservação e Sustentabilidade (NCS) da FAS, na RDS Rio Negro, uma estrutura integrada à floresta com biblioteca, salas de aula e laboratório de informática. É no núcleo que João Victor assiste às aulas, estuda, faz cursos, se informa e se “conecta” ao mundo além do Tumbira, comunidade situada na zona rural do município de Iranduba, a 64 quilômetros de Manaus.

“Com a chegada da internet do laboratório [NCS], tudo ficou muito mais viável para mim, já que uma boa conexão e que não falha como antes é fundamental para as nossas videoaulas e das provas”, conta o universitário.

É também nesse espaço que a técnica de enfermagem e Agente Comunitária de Saúde (ACS), Maria Augusta Macedo Vieira, de 43 anos, realiza aspectos importantes do seu trabalho. “Usar a internet do laboratório ajudou bastante na minha vida profissional, pois me auxilia a me comunicar melhor com meus superiores que estão distantes”, destaca.

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus no Amazonas, o projeto de conectividade também surgiu como aliado, possibilitando o uso de telemedicina como uma importante ferramenta na região. “A telemedicina só é possível por causa do projeto. Por ela, nós recebemos orientações e treinamentos para tratar os casos suspeitos da Covid-19 e como atuar para prevenir a transmissão na comunidade”, relata.

Na comunidade Três Unidos, do povo Kambeba, localizada à margem do rio Cuieiras, na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro, a 60 quilômetros de Manaus, a chegada da internet facilitou o acesso à informação e tem ajudado o professor de educação indígena, Mário dos Santos Cruz, 31 anos, a encontrar novas formas de organizar os projetos da comunidade. “O professor indígena precisa assumir uma posição estratégica. Trabalho com o pessoal da saúde e da religião, na organização da comunidade. Além disso, contribui no processo de reflexão e planejamento dos projetos da comunidade. Sou uma liderança, meu papel social é muito importante na comunidade como professor”, afirma.

E para melhor exercer esse papel, o acesso à rede é imprescindível para Mário e os demais moradores da Três Unidos. “É essencial hoje ter informação, participar e opinar e, nisso, a internet facilita muito”, diz o professor.

 

Publicidade
   
TURISMO
Agências de Turismo
Artesanato
Bibliotecas
Casas de Câmbio
Consulados
Ficha
Fotos
História
Hospedagem
Igrejas
Informações
Pontos Turísticos
Mapas
Municípios
Museus
Pescaria
Shoppings
Teatros
Zona Franca de Manaus

LAZER
Bares
Casas Noturnas
Cinema
Eventos

GASTRONOMIA
Cafeterias
Café Regional
Churrascarias
Guloseimas
Lanchonetes
Pizzarias
Restaurantes
Sorveterias
SERVIÇOS
Cyber Café
Caixas Eletrônicos 24h
Delegacias
Farmácias 24h
Hospitais
Hotspots (wi-fi)
Notícias
Telefones Úteis
Táxi

EDUCAÇÃO
Infantil
Escolas Públicas
Escolas Particulares
Curso Superior
Curso Técnico
Siga nas redes sociais:
Twitter   Facebook   Instagram


No seu bolso:
Download na Apple Store

Download na Google Play

ManausOnline.com
Copyright © 1996-2020