Principal        Turismo        Lazer        Gastronomia        Notícias        Serviços        Educação      


Notícias


Viagens aéreas bem mais lentas, em troca de um mundo menos poluído. Topa?

Os primeiros voos comerciais no mundo ocorreram a mais de um século

Por Luiz Affonso Mehu,
quinta-feira, 8 de setembro de 2022
 
 
 

Viagens aéreas bem mais lentas, em troca de um mundo menos poluído. Topa?
Viagens aéreas bem mais lentas... / Pixabay

Ações em favor do maior controle de emissões, conhecido como net-zero, incluem voltar atrás em algumas vantagens oferecidas pelas empresas aéreas, como por exemplo a velocidade em se chegar ao destino.

Os primeiros voos comerciais no mundo ocorreram a mais de um século, o ano de 1914, foi quando a primeira iniciativa comercial de transporte de pessoas ocorreu pelas mãos do piloto Tommy James, que vendeu o único assento em sua aeronave para o então prefeito de Saint Petersburg, Abram Pheil. Fontes históricas indicam que o valor da passagem foi de U$400, para um voo de duração de 23 minutos, ligando a cidade de Saint Petersburg para Tampa, regiões da Flórida, nos Estados Unidos.

Desde aquele momento inicial até os dias de hoje o serviço de transporte de pessoas e cargas utilizando aviões sofreu muitas evoluções tecnológicas, interessadas em agradar os clientes as aeronaves se tornaram mais rápidas, segundo a visão das empresas aéreas e dos clientes, viagens aéreas mais rápidas garantem mais satisfação e mais vendas, com entrega de voucher pela transportadora de veículos.

Mas com a crescente pressão pela redução a zero, de emissões por parte de toda a economia mundial, então as rápidas aeronaves funcionando com potentes motores movidos a combustível fóssil, estão na linha de aposentadoria, a questão é se o cliente comprará passagens aéreas em aeronaves menos poluentes, porém bem mais lentas.


Velocidade consome grande quantidades de combustível fóssil
No setor de logística rodoviário, o treinamento de motoristas inclui módulos inteiros tratando exclusivamente de como utilizar o acelerador e o freio de veículo pesados, o cliente que deseja saber quanto custa transportar um veículo de um estado para outro, agora pede também para saber que tipo de energia será utilizado para levar a sua carga.

O treinamento de motoristas profissionais inclui técnicas de manutenção mecânica e como utilizar corretamente o controle de aceleração do veículo, manter velocidade regulares mais baixas é um conhecido método de aplicação de eficiência energética. A cada vez que o freio é utilizado, toda a energia cinética é perdida, o que impacta na eficiência, como bem explicado por quem utiliza as empresas de móveis planejados.

Para um transporte rodoviário mais eficiente, em um cenário ideal, um veículo em movimento só deveria frear quando alcança o seu destino. Então durante um trajeto, se lança uma energia inicial para colocar o veículo em movimento e uma outra energia final para promover a desaceleração.

Quando você utiliza o seu veículo pelas ruas da cidade acelerando e freando de tempos em tempos, é o motivo do seu veículo consumir o combustível que consome. Acho que não existe nada mais consumidor de combustível do que ficar preso em um trânsito.

A economia e a eficiência, possuem pouca simpatia com grandes velocidades, o lema para as próximas gerações, me parece, será “devagar e sempre”. Para que o serviço de transporte aéreo sobreviva em um cenário de emissões zero, é necessário fazer um “downgrade”. Termo muito utilizado no setor de tecnologia, que significa voltar atrás em uma versão anterior.

Se antes existiam os poderosos aviões comerciais movidos a motor a jato, agora abre-se espaço para um retrocesso no sentido positivo do assunto, para aviões movidos a motores a hélice, híbridos elétricos, movidos a energia solar e principalmente lentos, bem lentos.

Não apenas restrito a questões do transporte aéreo, todos os setores econômicos terão de alguma forma pisar no freio, o desafio do net zero é monumental, no setor imobiliário não é diferente, imobiliárias em Goiânia já estão se especializando em captar e oferecer imóveis com painéis solares instalados.

O grito ecológico, pede menos conforto
Os hábitos de consumo das pessoas é que pressionam as emissões, não é uma questão restrita a uma nação em específico, e para alcançar as ambiciosas metas de emissões é necessário muitas outras ações no sentido de reduzir o consumo em energia, incluindo aquele banho gostoso a 40 graus de temperatura, por 15 minutos.

Não existe água nem energia suficiente para usufruto de todos, os hábitos de consumo precisam mudar pela ordem do custo, e agora pela ordem da imposição ecológica, as pessoas se contentaram com bem menos? Trocarão seus veículos por bicicletas? Banho quente diário, por banho frio semanal?

Para ser verdade a proposta do net-zero, será necessário um retrocesso geral em todos os hábitos de consumo, as pessoas terão que literalmente abandonar muitos confortos e se aproximar de uma vida natural, integrados a natureza, não é exagero afirmar que para uma redução drástica das emissões que o planeta exige, será necessário todos nós adotarmos um estilo de vida primordial, no sentido indigena da coisa.

Citei a questão do transporte aéreo, pois é um tema muito afeito a classe social de maior poder aquisitivo, com o aumento de custos dos preços do serviço, quem é rico, não sentiu nenhum efeito disso, mas criou uma diferença maior na sociedade, ampliou as desigualdades sociais.

Então se mudou o hábito ou selecionou o público, neste tempo pós-pandemia, vemos uma escalada de preços para manter hábitos de consumo antigos, o custo da energia cresceu muito, não existindo nenhum horizonte de redução de custos, pelo oposto, conforme informado pelas empresas de mudanças.

Os governos estão implementando cada vez mais impostos, justificadas pela necessidade de se alcançar a descarbonização da economia, a este custo, de que grande parte da população abra mão de muitos hábitos de consumo.


Net zero, significa reduzir a atividade econômica
Para um mundo mais verde, é necessário uma atividade econômica menor. Os aviões voando mais devagar, carregando menos cargas por vez, extinção do mercado de veículos particulares em prol de transportes coletivos ou manualmente acionados. Banhos semanais, em vez de diários. E por aí vai longe a lista de downgrade necessário que todos façam.

A questão é se faremos este downgrade, me parece que não.
 

 

Publicidade


   
TURISMO
Agências de Turismo
Artesanato
Bibliotecas
Casas de Câmbio
Consulados
Ficha
Fotos
História
Hospedagem
Igrejas
Informações
Pontos Turísticos
Mapas
Municípios
Museus
Pescaria
Shoppings
Teatros
Zona Franca de Manaus

LAZER
Bares
Casas Noturnas
Eventos

GASTRONOMIA
Cafeterias
Café Regional
Churrascarias
Guloseimas
Lanchonetes
Pizzarias
Restaurantes
Sorveterias
SERVIÇOS
Caixas Eletrônicos 24h
Delegacias
Farmácias 24h
Hospitais
Notícias
Telefones Úteis
Táxi

EDUCAÇÃO
Infantil
Escolas Públicas
Escolas Particulares
Curso Superior
Curso Técnico
Siga nas redes sociais:
Twitter   Facebook   Instagram


No seu bolso:
Download na Apple Store

Download na Google Play

ManausOnline.com
Copyright © 1996-2022