Principal        Turismo        Lazer        Gastronomia        Notícias        Serviços        Educação      


Notícias



Justiça avalia compra de votos em Maués, nesta quarta
Por Três Comunicação,
segunda-feira, 24 de junho de 2013
 
 
 

Nesta quarta-feira (26), o juiz da 5ª Zona Eleitoral – que abrange o município de Maués (a 257 quilômetros de Manaus) – Jean Pimentel, começará a ouvir testemunhas e avaliar provas na Ação de Investigação Judicial que apura denúncias de compra de votos nas eleições municipais de 2012. O processo de número 66394 foi instaurado em junho do ano passado, e pode resultar na cassação do atual prefeito de Maués, Pe. Carlos Góes (PT). Ele teria dado um fogão a uma eleitora, em troca da promessa de voto.
 
Nos autos do processo, consta o depoimento prestado na delegacia de Maués, em que a agricultora Rosana Coelho de Oliveira admite ter recebido do então candidato Carlos Góes um fogão em troca do seu voto. A nota fiscal, no valor do R$ 396, está anexada nos autos e o fogão de quatro bocas da marca Esmaltec foi apreendido. O fato ocorreu no dia 12 de setembro de 2012, na reta final da campanha eleitoral que culminou com a vitória de Góes.
 
Segundo termo de declaração lavrado no 48º Distrito Policial, em Maués, o caso começou em 20 de agosto de 2012, quando o então candidato Carlos Góes visitou a comunidade N. Sra. das Dores, onde Rosana de Oliveira mora. Lá, a agricultora teria lhe pedido um fogão e recebeu de Góes a promessa de que lhe ajudaria. Rosana procurou o candidato na sede do município, no dia 10 de setembro, na loja Jamile, onde ele atendia o público. De lá, saiu acompanhada por Ruth Ana Goes, irmã de Carlos Goes, e atual secretaria de Assistência Social de Maués. Foram à loja Magaldi, onde Ruth comprou um fogão para Rosana, pagando os R$ 396 à vista.
 
Quando levava o presente para sua casa, a beneficiada foi abordada pela polícia e foi parar na delegacia, onde contou toda a história, o que foi devidamente registrado em termo de declaração. A eleitora e os policiais que tomaram seu depoimento estão entre as testemunhas que serão ouvidas pelo juiz a partir de quarta-feira.
 
O petista corre o risco de ser o terceiro prefeito cassado no Amazonas por compra de votos no pleito de 2012. Em Lábrea, Evaldo de Souza Gomes (PMDB) comprava votos por R$ 150; em Pauini, Maria Barroso da Costa (PMDB) foi condenada por trocar tábuas e telhas de alumínio por votos. Considerando-se que esses casos não foram tão bem documentados quanto a compra do fogão em Maués, a ameaça ao posto de Carlos Góes é bastante concreta.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Publicidade




TecVidros
   
TURISMO
Agências de Turismo
Artesanato
Bibliotecas
Casas de Câmbio
Consulados
Ficha
Fotos
História
Hospedagem
Igrejas
Informações
Pontos Turísticos
Mapas
Municípios
Museus
Pescaria
Shoppings
Teatros
Zona Franca de Manaus

LAZER
Bares
Casas Noturnas
Cinema
Eventos

GASTRONOMIA
Cafeterias
Café Regional
Churrascarias
Guloseimas
Lanchonetes
Pizzarias
Restaurantes
Sorveterias
SERVIÇOS
Cyber Café
Caixas Eletrônicos 24h
Delegacias
Farmácias 24h
Hospitais
Hotspots (wi-fi)
Notícias
Telefones Úteis
Táxi

EDUCAÇÃO
Infantil
Escolas Públicas
Escolas Particulares
Curso Superior
Curso Técnico
Siga nas redes sociais:
Twitter   Facebook   Instagram


Whatsapp Manausonline:
whatsapp (92) 98252-0123    


No seu bolso:
Download na Apple Store

Download na Google Play

ManausOnline.com
Copyright © 1996-2019