Principal        Turismo        Lazer        Gastronomia        Notícias        Serviços        Educação      


Notícias



Tarifa de ônibus é reajustada neste domingo após três anos
Por SEMCOM,
sábado, 17 de janeiro de 2015
 
 
 

A tarifa de ônibus do transporte coletivo urbano de Manaus passará a custar R$ 3 a partir de domingo (18). O anúncio foi feito pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, no início da noite desta sexta-feira (16), durante coletiva com a imprensa, na sede da Prefeitura de Manaus, Compensa, zona Oeste. O reajuste tem como base a planilha trabalhada pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), que levou em conta itens de custos do sistema.

De acordo com o prefeito, o reajuste não pode mais ser postergado, porque o preço da passagem de ônibus está congelado há três anos e três meses, desde outubro de 2011, quando foi reajustada de R$ 2,25 para R$ 2,75. Além disso, nesse período, a inflação acumulada no País foi de 21%, enquanto o reajuste de R$ 2,75 para R$ 3,00 é de 9,09%. “O percentual de 9,09%, que está bem abaixo da inflação acumulada, decorre da desoneração do PIS, COFINS, INSS, ISS e principalmente da adoção do Consórcio Operacional implantado em outubro de 2013 pela Prefeitura, que permitiu uma redução de custos do sistema, inclusive o não reajuste em 2014”, disse o prefeito.

O prefeito lembrou, ainda, que devido aos sucessivos aumentos salariais concedidos aos rodoviários nos últimos anos e ao aumento dos insumos operacionais há uma defasagem no valor da tarifa atual. “De 2011 para 2014, o salário dos trabalhadores rodoviários, item que tem um impacto aproximado de 50% nos custos do sistema, teve um reajuste de 20,73%.  Atualmente, o salário do motorista é de R$ 1.938, 87”, informou Arthur Neto.
Outro item que possui peso no cálculo da tarifa são as despesas com combustível e aquisição de novos ônibus. De 2011 para 2014 o diesel sofreu aumento de 33,64% e o preço do ônibus convencional, 17,20%.

Subsídio

Desde julho de 2013, assim como na maioria das grandes capitais, a Prefeitura de Manaus em parceria com o Governo do Estado tem adotado o subsídio como forma de diminuir o impacto financeiro para o usuário. “Temos destinado R$ 2 milhões, R$ 1 milhão cada ente, para cobrir a diferença entre o valor pago pelo usuário. O valor do custo real do transporte, que é o valor repassado às empresas de ônibus é chamada de tarifa técnica, que não é a mesma que o usuário paga. Aqui essa diferença é de 0,11, então a tarifa técnica de Manaus é de R$ 3,11”, informou Arthur.

Pedidos ao governo federal

De acordo com Arthur, a prefeitura não tem como desonerar mais a tarifa sem a ajuda do governo federal, por tanto, tem três reivindicações junto à Frente Nacional dos Prefeitos. “Pedimos que a arrecadação da CIDE (Contribuição de Intervenção do Domínio Econômico) fique para os municípios e aqui usaríamos tudo para subsidiar a tarifa. Outra reivindicação seria a desoneração da cadeia produtiva dos ônibus, o que traria benefícios na hora de renovar a frota. O governo também poderia financiar a aquisição de ônibus pelos bancos públicos, como os países desenvolvidos fazem”, explicou.

Investimentos no setor

Com o reajuste, o prefeito informou que irá cobrar a renovação dos veículos das empresas, de acordo com a idade média de cada frota e que já teve reuniões com os empresários do setor para tratar do assunto. Ele disse, ainda, que o modelo Bus Rapid Transit (BRT) foi o escolhido para Manaus e que juntamente com o governo do Estado, a prefeitura irá consolidar um projeto para a cidade. “Já estamos nos reunindo e vamos fazer a formatação do modelo BRT para levar à Presidência da República. Vamos conversar primeiro com o ministro das Cidades, Gilberto Kassab”.

Relação entre tarifa x salário mínimo

Mesmo com o retorno da tarifa de ônibus para R$ 3 o peso do custo com transporte em Manaus em relação ao salário mínimo é um dos menores dos últimos 15 anos.

Com o novo valor o usuário que pagar 42 tarifas por mês vai gastar R$ 126,00 – o que equivale a 16% do salário mínimo, que atualmente é R$ 788,06. É um percentual bem inferior à média no ano de 2011, quando foi fixado o valor de R$ 2,75, causando um impacto de 21% no salário mínimo.

A exceção ocorre apenas nos últimos seis meses, quando o salário mínimo teve reajuste e a tarifa permaneceu congelada em R$ 2,75 e o percentual chegou a 15,95%.  Mas, excetuando-se esse período, nunca foi tão baixo. Em 2000, por exemplo, o custo de 42 tarifas equivalia a 27% do salário mínimo, e em maio de 2004 alcançou o maior patamar – 29% do salário mínimo.

Capitais que já reajustaram suas tarifas

Prefeitos de 11 capitais já tiveram a tarifa reajustada entre dezembro e os primeiros dias de janeiro de 2015. São elas Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e Boa Vista (RR), Curitiba(PR) e São Paulo (SP).

 

Publicidade




TecVidros
   
TURISMO
Agências de Turismo
Artesanato
Bibliotecas
Casas de Câmbio
Consulados
Ficha
Fotos
História
Hospedagem
Igrejas
Informações
Pontos Turísticos
Mapas
Municípios
Museus
Pescaria
Shoppings
Teatros
Zona Franca de Manaus

LAZER
Bares
Casas Noturnas
Cinema
Eventos

GASTRONOMIA
Cafeterias
Café Regional
Churrascarias
Guloseimas
Lanchonetes
Pizzarias
Restaurantes
Sorveterias
SERVIÇOS
Cyber Café
Caixas Eletrônicos 24h
Delegacias
Farmácias 24h
Hospitais
Hotspots (wi-fi)
Notícias
Telefones Úteis
Táxi

EDUCAÇÃO
Infantil
Escolas Públicas
Escolas Particulares
Curso Superior
Curso Técnico
Siga nas redes sociais:
Twitter   Facebook   Instagram


Whatsapp Manausonline:
whatsapp (92) 98252-0123    


No seu bolso:
Download na Apple Store

Download na Google Play

ManausOnline.com
Copyright © 1996-2019